Área de cobertura dos detectores de gases

21/05/2019

Muitas pessoas gostariam de saber quanto de uma área um detector de gás é capaz de cobrir a detecção.  Lembre-se que para qualquer um dos métodos de detecção, o gás só está sendo medido no próprio detector propriamente dito.  Um detector não pode detectar o gás que não está exposto.  Enquanto este conceito parece simples, ele pode fornecer uma variedade de problemas na aplicação.  Em nosso exemplo do sistema de detecção de Gás Natural (Metano) fixo em uma instalação com redes de gás, onde o detector deve ser realmente localizado?  A melhor resposta é o mais próximo possível da fonte de vazamento.  No entanto, muitas vezes não sabemos onde o vazamento ocorrerá, então provavelmente teríamos que colocar o detector na melhor posição para ser o mais próximo de todos os pontos de vazamento possível.  Lembre-se que os gases vão se difundir através do ar.  Você não tem que ter o seu nariz sobre um gambá para cheirá-lo, mas quanto mais longe você está, mais o cheiro se dissipa até que você não pode mais cheirar nada.

Outra coisa a ter em conta são as propriedades físicas do gás que está sendo detectado. Uma vez que o Gás natural é mais leve do que o ar, um vazamento deste gás resultará em aumento de gás sobre o ponto de vazamento. No entanto, simplesmente colocar um detector no teto pode ser ineficaz devido à diluição que o gás experimentará durante a difusão.  Você teria efetivamente de começar a encher todo o teto com gás para obter uma reação do detector.  Em contraste, vapores do GLP são mais pesados do que o ar e seria esperado para ser encontrado perto do solo em condições normais.

Temperatura, vento e umidade também pode desempenhar um papel importante.  A alta temperatura pode resultar em aumento de gases que normalmente seria esperado para ser encontrado perto do solo.  Uma brisa forte pode expandir o gás longe do detector. Detectores fixos em áreas de ventos normalmente só respondem se toda a área é difundida com o gás que está sendo detectado (ou seja, um nível catastrófico de gás está presente). Se a substância química que está sendo detectada é solúvel em água então a umidade pode remover o gás antes que possa penetrar no detector.  Isto é especialmente importante manter-se na mente quando nós falamos sobre o ponto mais seguro de localização do detector, evitando tomada de água, chuva, ventos, poeiras e outras intempéries.

Diferentes aplicações exigirão que os gases sejam detectados em diferentes concentrações.  Listados abaixo estão alguns dos termos usados para descrever esses níveis.  Esta lista é de nenhuma maneira abrangente. Você deve sempre consultar regulamentos de segurança para ter certeza de que os níveis de detecção apropriados estão sendo usados, pois eles podem variar de acordo com outros procedimentos. Consulte a NR 15 - Anexo 11.

Medições em % Volume

O percentual de volume é usado onde uma grande concentração de gás está sendo detectada.  Tipicamente estas aplicações envolvem um gás que não é tóxico em concentrações menores, ou estão nas áreas onde nenhum pessoal estará envolvido.  Os gases típicos que são frequentemente medidos em percentagem de volume incluem oxigênio e dióxido de carbono.

Medições em % LEL ou % LIE:

O limite inferior de explosividade de um gás é a concentração mínima de um gás combustível ou vapor que queimará ou explodirá em condições normais se uma fonte de ignição estiver presente.  Os gases combustíveis são frequentemente medidos em % LEL.  Uma concentração que atingiu 100% LEL está na concentração mínima necessária para a ignição.  No entanto, a maioria dos detectores são projetados para alarme em concentrações muito mais baixas.  O Regulamento Federal para a entrada de espaço confinado (CFR 1910,146) exige que as concentrações em 10% do LEL ou superiores sejam consideradas inseguras para a entrada.

O conhecimento exato da aplicação é exigido sempre a fim projetar um sistema eficaz da detecção do gás.  As informações contidas neste artigo podem ser usadas como base para o início desse estudo, mas não se destina a ser um guia completo.  Muitas fontes de informação estão disponíveis para o usuário que deseja determinar uma estratégia de detecção adequada. 

É igualmente importante recordar que nenhum destes sistemas pode ser 100% confiáveis se não forem verificados em uma base regular, e sua resposta ao gás verificado.  Alguns detectores de gás podem ser envenenados pela exposição a produtos químicos ou principalmente por condições adversas.  Muitas dessas falhas são impossíveis de detectar eletronicamente.  A única maneira segura de verificar se um sistema está realmente funcionando é calibrá-lo com um gás de calibração conhecido e confiável.

A Confor possui uma  Engenharia de Aplicação e Suporte  que é uma estrutura de relacionamento técnico-comercial com o cliente que busca adequar cada produto ao seu processo específico.  Na  sua  gama  de  atuações  oferecemos  testes e acompanhamentos de performance in-loco, com suporte técnico integral para cada aplicação.

A grande experiência de nossos técnicos pode contribuir para o sucesso da sua empresa.
Este “programa” é uma extensão do cliente dentro da Confor na busca de soluções específicas para a real necessidade de cada empresa, propondo um desenvolvimento a quatro mãos e enfrentando cada desafio do processo, juntamente com sua equipe.